Portal do Governo Brasileiro
Menu

 Histórico

 A UNESCO se constituiu como órgão em 16 de Novembro de 1945 objetivando agenciar a paz mundial em seis temas essenciais para o alcance de sua meta: Educação, Ciências Naturais, Ciências Humanas e Sociais, Cultura, Comunicação e Informação.

Os membros da UNESCO almejam elaborar, discutir e viabilizar iniciativas de interesse mundial, proporcionando o diálogo, a valorização cultural e o respeito aos valores de cada civilização. A partir dessas reuniões, em 1992 foi lançado o Programa UNITWIN que tem por finalidade socializar os conhecimentos existentes entre instituições de ensino superior do mundo todo, que disponibiliza atividades de treinamento, pesquisa e intercâmbio entre acadêmicos por meio da criação de Cátedras e Redes UNESCO às quais as instituições de ensino superior podem aderir. As Cátedras UNESCO são unidades de ensino que anseiam por praticar e desenvolver uma determinada área de conhecimento. A institucionalização do sistema de Cátedras nas organizações de ensino superior é parte do reconhecimento da qualidade do trabalho realizado por esses organismos, fomentando o desenvolvimento da excelência em uma área de atuação.

A Universidade de Brasília (UnB), idealizada como instituição inovadora, pioneira, buscando sintonia com a contemporaneidade, propunha em seu Plano Diretor (1962), a utilização dos meios de comunicação de massa para o ensino e a formação educacional, por meio de uma emissora de rádio, principal meio de comunicação à época, para atuar na oferta de "cursos por correspondência e radiodifusão visando o aperfeiçoamento do magistério de nível médio, bem como de uma TV Universitária, que "além dos objetivos locais de difusão cultural, deveria elaborar e coordenar a difusão de programas de nível médio através das redes nacionais de televisão". (Idem).

Na Faculdade de Educação (FE/UnB), em 1974, estudos de alguns professores influíram na criação da habilitação em Tecnologia Educacional no Curso de Pedagogia (1975), primeira a ser reconhecida no país pelo Conselho Federal de Educação em 1979. Como decorrência do envolvimento institucional da FE e do amadurecimento acadêmico, refletido no modo de conceptualizar a educação tecnológica na formação do educador, esses docentes participaram da criação, na UnB, do Centro de Produção Cultural e Educativa (CPCE), em 1986 e do Centro de Educação Aberta, Continuada e a Distância (CEAD) em 1988. Na FE, na criação do Centro de Informática Educativa no Ensino Superior (CIES) em 1994, na instituição da área de Tecnologias na Educação no Mestrado em 1996, na institucionalização do Grupo de pesquisa Lattes/CNPq "Aprendizagem, Tecnologia e Educação a Distância" (ATEAD) em 2002, e da área de Educação e Comunicação, relacionada com a temática das TIC, no Doutorado, iniciado em 2004 (CTAR, 2009). O Grupo ATEAD, no documento elaborado para o Consuni em 1996 destaca que tais propostas já demonstravam consciência do valor das tecnologias de comunicação e do papel que elas viriam a desempenhar cada vez mais, "preconizando formas de educação a distância antes que a expressão tivesse alcançado a proeminência que veio a ter nos anos subseqüentes." (Grupo ATEAD, 2000; site da Cátedra).

A conjuntura histórica, tecnológica e as iniciativas governamentais em prol de políticas públicas de educação superior a distância no país, alicerçada em parcerias estratégicas da UnB com os Ministério de Ciência e Tecnologia, da Cultura, da Educação e Desporto, com outras IES públicas estaduais e federais por meio do Consórcio BRASILEAD, e sua localização na capital do país, certamente exerceram influência na decisão da UNESCO de estabelecer a Cátedra de Educação a Distância na FE/UnB, após avaliação e aprovação de sua proposta formal, em 1993, pelo perito internacional Prof. Ricardo Marin Ibañez, da UNED, Espanha. Integra, desde então, o Programa UNITWIN, tendo sido estabelecida em junho de 1994.

Sua instalação oficial deu-se no "Seminário Internacional de Novas Tecnologias na Educação e na Formação Continuada: Educação sem distância para o Século XXI", na FE/UnB, de 26 a 29 de setembro de 1994, com a presença de diretores de Faculdades de Educação das IES integrantes do BRASILEAD, membros do seu Conselho Diretor, além de autoridades do MEC [SEED/CAPES], CNPq, UNESCO, embaixadas, especialistas de IES estrangeiras e interessados em geral. 

Desde a sua criação, o apoio de órgãos importantes para o financiamento e manutenção da qualidade na Educação, tem sido fundamental para o desenvolvimento de suas ações, destacando-se os papeis exercidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Secretaria de Educação a Distância (SEED), da Universidade Aberta do Brasil (UAB), do Ministério da Educação (MEC).

 

Voltar ao topo