Projeto 4: Inclusão e Prática Docente Com Alunos Deficientes Visuais

Universidade de Brasília – Faculdade de Educação

Departamento de Teoria e Fundamentos

Área de Educação Especial e Inclusiva

Profª: Patrícia Neves Raposo

Projeto 4: Inclusão e Prática Docente Com Alunos Deficientes Visuais

Horário: Segunda Feira das 14h às 17h50

Pré-requisito: Educando com Necessidades Educacionais Especiais – cód. 191639; Aprendizagem e Desenvolvimento da Pessoa com Necessidades Educacionais Especiais –cód. 194671

Organização da ação na Instituição onde realizará a prática:

A prática será desenvolvida em 08 horas semanais de acordo com planejamento aprovado pela escola. A parte prática consta de atividades pedagógicas a serem desenvolvidas na sala de aula com alunos deficientes visuais incluídos e na sala de recurso multifuncional.

Tempo total que o aluno precisa disponibilizar para o Projeto: 12 horas semanais

Metodologia:

O projeto IV será desenvolvido por meio de aulas presenciais para a parte teórica e orientação, e atividades práticas em escolas da rede pública de ensino que matriculam alunos com deficiência visual. Esta proposta vai incorporar as atividades de aprendizagem disponíveis, adaptando-as à necessidade da reflexão que se impõe em relação ao tema central do projeto.

O foco está no desenvolvimento de formas de comunicação interativa que permita a alunos, professores e comunidade escolar a constituição efetiva de seus processos de ensino-aprendizagem. A dinâmica da participação interativa de professora/alunos deve ser estabelecida no início da disciplina para garantir uma metodologia inicial de trabalho em conjunto que permita, ao longo do processo, o aparecimento de novas possibilidades.

Avaliação:

Os alunos serão avaliados pela participação no conjunto de atividades propostas para as partes teóricas e prática e se expressará nas menções: SS, MS, MM, MI, II e SR.

Critérios para avaliação:

- Pontualidade na participação em escolas e na entrega dos trabalhos;

- Clareza e coerência na apresentação oral e escrita dos trabalhos e relatórios;

- Domínio do conteúdo, utilização de recursos didáticos e da tecnologia assistiva;

- Desenvolvimento do conteúdo com:

- Autonomia de pensamento;

- Evidência de reflexão e análise sobre o tema;

- Adequação da proposta para aulas inclusivas e

- Bibliografia atualizada;

Bibliografia a ser trabalhada no processo; (opcional)

GONZÁLEZ REY, F. L. O Sujeito que Aprende – Desafios do desenvolvimento do tema da aprendizagem na psicologia e na prática pedagógica. In: TACCA, Maria Carmem Villela Rosa (Org.) Aprendizagem e trabalho pedagógico. Campinas: Alínea, 2006.

RAPOSO P. N; CARVALHO, E. N. S. de. Inclusão de alunos com deficiência visual. Ensaios Pedagógicos: Construindo escolas inclusivas. MEC. Brasília, 2005.

RAPOSO, P. N. O impacto do sistema de apoio da Universidade de Brasília na aprendizagem de universitários com deficiência visual. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação. 2006. Faculdade de Educação. Universidade de Brasília, 2006.

VIGOTSKI, L. S. Obras Completas: Tomo V. Fundamentos da defectologia. La Habana: Pueblo e Educação, 1989.

______. Fundamentos de defectologia. In: Obras completas. Tomo 5. Ciudad de La Habana: Pueblo Y Educación, 1995.

SIAULYS, M. O. De C. A inclusão do aluno com baixa visão no ensino regular. Brasília, Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2006. 68 p.: il. Color.

http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/18622.html

Dia da reunião para seleção de participantes: segunda-feira de 14 as 17h50.

Outras informações relevantes para que o aluno possa se situar em relação à administração do seu tempo e compromisso.

O aluno deve dispor do tempo indicado no turno matutino e/ou vespertino para desenvolver as atividades práticas em sala de aula e em sala de recurso.

(Sugestão: Como se dá a configuração em fases do projeto?) fases I ou II do aluno.

 

Última atualização (Sex, 19 de Agosto de 2011 21:22)

 
Login



Notícias
Petrobras assina contrato de patrocínio com a Sadef

A Petrobras assina sexta-feira (22) contrato de patrocínio com a Sociedade Amigos do Deficiente Físico do Rio Grande do Norte (Sadef), no Hotel Praiamar, em Ponta Negra, às 11h. Com este patrocínio, a empresa destinará recursos para a preparação de 104 atletas paraolímpicos,

Leia mais...
 
Informação sobre deficiência poderá ser incluída na carteira de identidade

A Câmara analisa o Projeto de Lei 7188/10, do deputado Clóvis Fecury (DEM-MA), que faculta a identificação da condição de deficiente na carteira de identidade.

Leia mais...
 
Único ginasta surdo do DF supera deficiência e disputa competição nacional

A ginástica artística entrou na vida de Saulo Moraes, 13 anos, quando ele tinha apenas 4. O menino, que nasceu com citomegalovirose e deficiência auditiva, foi matriculado pelos pais para que ganhasse mais equilíbrio corporal.

Leia mais...